sexta-feira, 20 de dezembro de 2013

A necessidade de Platéia... Desejo um Natal e 2014 de platéia, mas com significado!!

Minha última postagem de 2013 precisa significar a minha nova fase como profissional, amiga, irmã, filha e como sujeito na internet.

Sou uma mulher ligada ao sentimento, tudo que vivi sempre foi muito intenso, e como uma comunicadora nata, sempre fiz registros dos momentos mais especiais da minha vida. Dos meus 8 anos até os 20 sempre registrava em diários os dias especiais, mas quando ganhei minha primeira máquina fotográfica, que foi presente do meu primeiro amor, passei a registrar imagens também. Claro que as fotos eram sempre de momentos felizes, afinal ainda não conheço alguém que tire fotos dos momentos tristes. 

Era sempre uma felicidade levar o filme para revelar e ver como as 12 ou 36 fotos ficavam, a expectativa de que não queimasse nenhuma foto era grande, e eu sempre era sortuda, conseguia bater mais fotos que o filme dizia ter. Com a chegada da máquina digital, virou uma febre registrar todos os momentos, até aqueles mais bobos e sem significados. Com o bum das redes sociais então, fazia questão de bater foto de tudo e colocar na rede, alias esta febre foi geral, tenho certeza que a maioria das pessoas que acessam as redes sociais passaram pela mesma fase. E como vivemos na sociedade do espetáculo já algum tempo, a febre passou a ser um sintoma natural de quem quer estar sempre conectado, aparecendo de qualquer maneira para seus contatos. Posso falar com propriedade porque passei por isso, mas como a evolução é um caminho que sempre busco trilhar, comecei a me questionar quanto ao sentido de postar fotos de qualquer coisa, principalmente em relação a sentimentos.


Quando vejo casais colocando fotos de momentos cotidianos, trocando juras de amor, me pergunto: será que o amor deles só não se basta, a necessidade de plateia e testemunha é tão grande assim? Ou será que é uma questão de parecer ser feliz, chamar a atenção? Uma resposta é certa: a platéia! Ninguém mais quer ficar anônimo, todo mundo quer aparecer de alguma maneira, e neste sentido as redes sociais são o palco perfeito!

"Hoje, como as pessoas não conseguem nem ser nem ter, o objetivo de vida se tornou parecer. As pessoas parece que sabem, parece que fazem, parece que acreditam." (Fonte: http://www.istoe.com.br/assuntos/entrevista/detalhe/12528_CUIDADO+COM+OS+BURROS+MOTIVADOS).



“No mundo realmente invertido, a verdade é um momento do que é falso.”

“O mundo prefere a imagem à coisa.”

“O Espetáculo não é um conjunto de imagens, mas uma relação social entre pessoas, mediada por imagens.”

“A imagem construída e escolhida por outra pessoa se tornou a principal ligação do indivíduo com o mundo que, antes, ele olhava por si mesmo.”

“Toda a vida das sociedades nas quais reinam as modernas condições de produção se apresenta como uma imensa acumulação de espetáculos. Tudo o que era vivido diretamente tornou-se representação”.

“Essa sociedade que suprime a distância geográfica recolhe interiormente a distância, como separação espetacular.”


Frases: DEBORD, Guy. A Sociedade do Espetáculo. 1967.





Mas como eu sempre uso a afirmação de Nelson Rodrigues: "Toda unanimidade é burra", para refletir, provocar polêmica, e não para encerrar discussões ou aumentar o número de lugares-comuns. Resolvi ir contra ao sistema, mudar o significado dos registros nas minhas redes sociais, resolvi filtrar as minhas imagens, resolvi voltar aos antigos rituais de escrever em um diário, e revelar 30 fotos de momentos especiais. Não considero que seja um retrocesso, apenas um novo modo de significar minhas referências pessoais.

Então a partir de 2014 minhas redes sociais vão estar recheadas de matérias, imagens e conteúdos profissionais dedicados a comunicação social, as causas sociais, aos meus projetos pessoais e tudo o que  sentir vontade de compartilhar. Postagens no sentido de agregar valor para os internautas, ou seja, que acho que pode fazer a diferença em uma reflexão. Quanto aos meus momentos especiais resolvi colocar em álbuns e cadernos de referencias, para que eu possa mostrar para minha platéia particular e especial, minhas testemunhas offline: minha família e meu pequeno grupo de amiga(os) que estão presencialmente em minha vida!

Sei que muitas pessoas não vão se dar ao trabalho de ler este post, mas para aquelas que interessaram-se pela minha reflexão e querem saber porque resolvi mudar o meu palco, compartilho uma das referências que me levaram a resgatar valores antigos como um álbum de fotografia que mostro no sofá da minha sala para a minha comunidade:



Nenhum comentário: